• Peru: Todas as dicas para programar a sua viagem!

Postado em

Eu sempre curti muito planejar viagem e fechar tudo por conta própria: passagens, hoteis, passeios, etc., porque, antes de mais nada, é uma forma de já ir “mergulhando” na viagem que está por vir 🙂

Como já comentei em posts anteriores, sempre tive vontade de conhecer Machu Picchu e ano passado, despretenciosamente lendo no site do Mochileiros, vi outros lugares bacanas no Peru. Mas infelizmente a gente não lê só coisas boas, né? Informações sobre perigo nas estradas, motoristas imprudentes, assaltos, pessoas passando mal de intoxicação alimentar acenderam o meu “Alerta” e passei a pesquisar tudo com mais cuidado.

O intuito desse post é comentar com vocês os meus preparativos e alguns cuidados que tive antes e durante a viagem – além de todos esses cuidados, talvez a sorte também tenha estado do meu lado, pois felizmente nada de ruim nos aconteceu 🙂

Programando a viagem:

Táxi do aeroporto de Lima ao Hotel em Miraflores:

Como já comentei nesse post aqui, eu chegaria na cidade sozinha, a noite, e sabia que o sistema de transporte lá no Peru é meio complicado.

Antes da viagem, entrei em contato com o hotel e questionei se eles disponibilizariam um táxi para me pegar – o custo seria de US$ 25 (que acabou sendo US$ 20, já que acabei dividindo o táxi com 2 brasileiras que estavam no mesmo hotel).

Pode até ser que, negociando na hora com os diversos táxis que tinham por lá, tivesse saído mais barato, mas acho que a minha segurança e tranquilidade valem mais a pena!

Hospedagens:

Decidimos hotel ao invés de hostel, achei os preços no Peru bem em conta em relação a outros países que já visitei e até mesmo Brasil. Todas as reservas foram feitas pelo Booking, com a opção de Cancelamento grátis até alguns dias antes do check in. Felizmente, não tivemos nenhum problema com nossas reservas.

Dinheiro:

Como já comentei aqui, levei alguns dólares e as melhores cotações que vi no Peru foram em hoteis e restaurantes (ao menos nessa época que fui). Eu só levei dólares por precaução, caso tivesse algum tipo de problema para sacar Nuevos Soles no Peru, o que de fato só ocorreu nos terminais “Global ATM”, que tinha por todo o canto. Em compensação, nas agências bancárias, consegui sacar normalmente (Não esqueça de desbloquear seus cartões antes de viajar e verificar o seu limite de crédito para saques internacionais).

Veja nesse post aqui dicas sobre que dinheiro levar a uma viagem internacional.

Posts Peru

Machu Picchu e Wayna Picchu:

Deixar para comprar os ingressos quando chegar ao destino é correr o risco de não conseguir visitá-los (Wayna Picchu recomendam comprar no mínimo 1 mês antes – vi algumas pessoas lá que não conseguiram comprar, não é lenda não!).

Tanto os ingressos como bilhetes de trem eu comprei diretamente nos respectivos sites, sem problema algum (mais pra frente, farei um passo a passo, ok?). Veja aqui como aquirir o ingresso do trem e aqui o ingresso para Machu Picchu, passo a passo!

Site oficial para compras do ingresso para Machu Picchu: http://www.machupicchu.gob.pe/

Site da Peru Rail (trem): www.perurail.com

Verified by Visa:

O pesadelo de quem programa uma viagem ao Peru…risos. Pelo que li, o Peru sofreu muitas fraudes em transações de compras pela internet e, por isso, passaram a exigir o Verified by Visa para confirmar as transações.

Eu li bastante a respeito antes de comprar os ingressos de Machu Picchu e relatos de pessoas dizendo que apenas o Banco do Brasil e Bradesco possuíam o Verified by Visa. Bom, imagino que hoje em dia a maioria dos bancos já tenha, pois eu comprei tudo normalmente com o meu cartão do Itau.

Como funciona: você começa a fazer a compra normalmente, insere o número do cartão, validade, o número de segurança que tem na parte de trás. Aí, verifique se o seu computador não está bloqueando pop ups – caso esteja, desative o bloqueio. O site abrirá uma nova página, do seu banco, em que você confirmará o seu banco e inserirá o Verified by Visa ( no caso do Itau, nada mais é do que o número que aparece no display do token).

Veja aqui o passo a passo para comprar seu ingresso para Machu Picchu!!

Eu tive problemas apenas quando tentei comprar uma passagem aérea no site da Peruvian, pois essa parte para inserir o número do token não abria – pop ups desativados, tentei o Chrome, Explorer, etc., não funcionou. Conclusão: comprei a passagem por outro site (Kayak), já meu amigo conseguiu comprar normalmente…vai entender.

Enquanto eu não conseguia comprar, até tentei entrar com contato com o Itau, mas só serviu para me dar uma canseira…a atendente não entendia o que eu queria e por fim disse que o problema era do site.

Em último caso, é comprar os ingressos através das empresas de turismo: você pagará mais caro, mas não corre o risco de ficar sem seus ingressos 🙂

 Transporte entre as cidades:

Li diversos relatos no Mochileiros que descreviam: ônibus quebrados no meio da estrada, motoristas imprudentes, acidentes e etc. Fiquei com muito receio e a nossa decisão foi de viajar apenas com a empresa Cruz del Sur, que parece ser a melhor lá do Peru. Para garantirmos, compramos todos os bilhetes antecipadamente.

Para quem está fazendo mochilão e quer a independência de decidir de última hora para qual cidade ir, esse esquema pode não ser dos melhores, porque já define o roteiro, né? Mas nós tínhamos menos de 20 dias no país, com muitas cidades para serem visitadas e então o planejamento antecipado foi realmente o melhor que fizemos. Fizemos ao todo 6 viagens de ônibus e em muitas delas, o mesmo estava cheio – ou seja, deixando para comprar de última hora, talvez não tenha disponibilidade no dia que você pretende viajar.

Apesar de a Cruz del Sur ser a das melhores, em algumas viagens sentei na primeira fileira do andar superior, o que que te dá ampla visão do trajeto: ultrapassagens proibidas foram muito mais frequentes do que eu poderia imaginar, mas graças a Deus nada de mau nos aconteceu. A empresa tem suas falhas, mas de forma geral, cumpriu com o prometido e voltaria a viajar com ela.

Trajetos maiores (como de Ica a Cusco e Arequipa a Lima) foram feitos de avião, pois demandariam mais de 10 horas de estrada cada, o que, além de ser extremamente cansativo, sempre é um risco maior (relatos de assaltos são frequentes e algumas estradas são realmente complicadas).

Programando o roteiro:

Muitas pessoas não entendiam o que eu faria no Peru por 16 dias…hahahahaha…gente, vou confessar a vocês que FALTARAM dias, isso sim! Planos de conhecer Huaraz e Trujillo ficarão para uma próxima oportunidade.

Lógico que cada um tem seus sonhos, vontades, eu li muito na internet e no meu guia sobre os destinos peruanos e, por fim, conseguimos cumprir o roteiro conforme organizado nesse post aqui. (No fundo, eu sempre tive um certo receio de algo não funcionar, em virtude da logística do país).

Em resumo, o roteiro ficou assim:

Mapa Peru

Cidades visitadas circuladas em vermelho

  • 2 dias e meio em Lima: chegamos no domingo a noite (07/09), tivemos a segunda e terça feira inteiras na cidade. Na quarta feira de manhã (10/09), conseguimos visitar o Museu Larco, um pouco afastado de Miraflores e caminhar um pouco pela cidade. Nosso ônibus para Paracas partiu as 14 horas (chegar 30 minutos antes).
  • 1 dia em Paracas: chegamos no final da tarde (10/09), compramos os passeios para Ilhas Ballestas e Reserva de Paracas assim que chegamos (existem inúmeras empresas oferecendo o tour, mas elas fecham por volta das 20 horas. Se você for chegar a cidade depois desse horário, acredito que valha a pena já ter algo reservado). No dia seguinte (11/09), tours acima mencionados e deslocamento para Nasca as 17:30 hrs.
  • Meio dia em Nasca (12/09): chegamos em Nasca a noite (11/09), compramos com o hotel o sobrevoo as linhas. O hotel, na verdade, nos trouxe um guia turístico que fecha esses passeios. Quando chegamos à cidade (por volta das 21 horas), haviam muitas empresas de turismo ainda abertas vendendo pacotes.
  • Por volta das 13 hrs (12/09), pegamos um ônibus a Ica e, da estação de ônibus, um táxi ao Oásis de Huacachina. Pesquisamos bastante sobre onde deixar as malas, não encontramos boas informações e então pegamos um hostel baratinho para deixarmos nossa bagagem e usarmos o banheiro. Chegando lá, descobrimos que poderíamos ter deixado nossas malas na Cruz del Sur, uma vez que usaríamos o ônibus novamente no mesmo dia.  Ao final da tarde, pegamos o ônibus em direção a Lima.
  • O trajeto de Ica a Cusco de ônibus durava mais de 10 horas, logo, a nossa opção foi ir de Ica a Lima (cerca de 4 horas de ônibus), chegamos a capital peruana por volta das 23 horas, pegamos um táxi até o aeroporto. Nosso voo a Cusco saiu apenas as 5:15 da manhã do dia 13/09 e o que salvou foi a sala vip a que meu amigo tinha direito, e pode me levar hehehehehe
  • Cusco: chegamos por volta das 06:30 (13/09), o hotel nos disponibilizou táxi gratuito do aeroporto até lá. Nos ofereceram o café da manhã (esse nem estaria incluído, uma vez que o check in começaria meio dia apenas), logo nosso quarto estava pronto. Dormimos por quase 3 horas, fizemos o tour. Dia seguinte (14/09), Cusco novamente e deslocamento para Águas Calientes.
  • Machu Picchu (15/09): 1 dia. Nosso trem de volta a Poroy (estação mais próxima de Cusco) saía as 16hs30m e, mais uma vez, o táxi de volta ao hotel foi indicado pelos mesmos (dessa vez, não estava incluído).
  • Cusco (16 e 17/09): mais 2 dias na cidade e, no último, deslocamento a Puno as 22 horas.
  • Puno (18 e 19/09): 1 dia e meio. Fechamos o passeio a Ilhas de Uros e Taquile com o hotel antes da viagem, pois chegaríamos a cidade as 04hrs30mins da manhã e os passeios começam as 07hrs30mins. No dia seguinte (19/09), nosso ônibus para Arequipa partiria apenas as 15 horas, então aproveitamos para descansar um pouco mais e conhecer um pouco de Puno.
  • Arequipa (19 a 22/09): 2 dias e meio: 1 dia inteiro para conhecer a cidade e outro para tour no Vale del Colca. No nosso último dia na cidade, conseguimos o late check in, organizamos nossas coisas, passeamos um pouco pela cidade e as 15 horas nosso voo partiria para Lima.
  • Último dia no Peru: chegamos dia 22/09 a noite em Lima e nos hospedamos no Costa Sol Ramada, que é ligado ao aeroporto por uma passarela – mais prático, impossível. Optamos por ele pelo fato de o aeroporto ser longe dos principais bairros de Lima e nossos voos serem cedo.Posts Peru

Dúvidas, estou sempre a disposição. Não percam os próximos posts,com dicas detalhadas e práticas sobre cada um desses destinos fantásticos 🙂

Postado em

Eu já havia lido algumas críticas favoráveis a esse charmoso restaurante localizado no bairro dos Jardins, em São Paulo. Como essa semana tem a Restaurant Week e se trata dos meus últimos dias de férias, aproveitei para ir conhecer, no horário do almoço. O restaurante é pequeno, aconchegante com um bonito painel de plantas ao […]

Postado em

Oi, pessoal, tudo bem? Acabei de voltar de minha viagem de 16 dias ao Peru e, antes de falar sobre cada cidade e passeio em si, gostaria de compartilhar com vocês algumas dicas que tenho certeza de que ajudarão no seu planejamento e evitarão perrengues desnecessários. Vamos lá? Quando ir? A melhor época para visitar […]

Postado em

Oi, pessoal, tudo bom?  Quando vocês lerem esse post, estarei a caminho do Peru já!! Eu sempre tive muita vontade de conhecer Machu Picchu e pra mim Peru se resumia a Cidade Perdida e Cusco, nada mais! E as minhas pesquisas me mostraram o quanto eu estava enganada… 🙂  No final do ano passado, comecei a […]

Postado em

Quando fui visitar meu irmão na Europa ano passado, ele comentou comigo que queria conhecer Bruges – eu já havia visto algumas fotos e posts e logo fui me apaixonando por essa cidadezinha, também conhecida como “Veneza do Norte”, devido aos seus diversos canais. Como já comentei em posts anteriores, ficamos hospedados em Bruxelas e […]

Postado em

Tive apenas 2 dias na Bélgica, como já comentei num post anterior e ainda decidimos conhecer Bruges, sobrando apenas 1 dia para Bruxelas, a Capital da União Europeia!! Desta forma, nosso foco era passear despretenciosamente pela cidade, sem deixar de conhecer os pontos mais famosos da mesma – museus, no entanto, ficaram de fora do nosso […]

Postado em

A primeira vista, o Atomium pode parecer uma construção nova, moderna, não é mesmo? Mas não se enganem: toda essa estrutura, tão famosa em Bruxelas, foi construída em 1958 para a Expo 58, simbolizando a vontade democrática de manter a paz entre todas as nações. Assim como a Torre Eiffel, o Átomo deveria ser destruído […]

Postado em

Localizado numa movimentada rua do bairro do Tatuapé, em São Paulo, o Condimento pode passar despercebido se você não prestar atenção quando estiver passando de carro pela rua. Com a fachada cor de rosa e algumas mesinhas na calçada, me faz lembrar uma casinha de bonecas. Entrando no restaurante, muito charme: paredes forradas com papel […]

Postado em

Pense numa criança fanática pelo Mickey chegando a Disney pela primeira vez! Essa imagem é como eu fiquei na “Rua dos chocolates” em Bruxelas… hahahahaha Eu fiquei simplesmente fascinada e queria experimentar de TUDO!! O bacana é que na grande maioria das lojas, você pode comprar não apenas as barras como também bombons avulsos, podendo, […]

Postado em

Devo confessar uma coisa a vocês: eu já tinha ouvido muita gente falar que Bruxelas era uma cidade feia, cinzenta, sem graça, porém, como eu tinha muita vontade de conhecer Bruges, incluir a capital belga nessa viagem e tirar minhas próprias conclusões era mais do que inevitável! Fomos passear pela cidade e é claro que […]