• Peru: Todas as dicas para programar a sua viagem!

Postado em

Capital da República Tcheca, Praga (ou Praha, em tcheco) é considerada por muitos como a “Paris do Leste”. A cidade sempre esteve nos meus sonhos, mas que eu não tinha muitos planos concretos de conhecê-la, até que, enquanto planejava visitar meu irmão em Frankfurt, ele comentou comigo que conheceu um pessoal de Praga num hostel em que ficou em Amsterdam, e se interessou bastante pela cidade. Então ficou decidido que incluiríamos a cidade em nossa Eurotrip 😉

Situada às margens do Rio Vltava, a cidade conta com castelos e bairros charmosos que dão vontade de parar o tempo! São muitos os motivos para visitar essa cidade com tanta história para contar e vou desmembrar o que conheci em posts com muitas dicas para vocês!

Um pouquinho de história

Praga começou a crescer bastante a partir do século XI, através da construção da primeira ponte sobre o rio Vltava ampliando a Staré Mesto (Cidade Antiga) e posteriormente, com a fundação do castelo de Hradcany e Malá Strana (Cidade Pequena).

Mas o auge da cidade viria apenas no século XIV, com o governo de Carlos IV. Além de construir a famosa ponte que leva seu nome até hoje, Carlos fundou a primeira universidade da Europa Central, ampliou a cidade a Nove Mesto (Cidade Nova) e construiu a catedral gótica de Hradcany.

192

Karluv Most (Ponte Carlos)

A cidade, que se tornou a capital da República da Tchecoslováquia em 1918 foi devastada pelas duas grandes guerras, sofreu um golpe de Estado logo após a II Guerra e os comunistas tomaram o poder durante décadas, sendo derrotados apenas em 1989. Pacificamente, em 1993, a Tchecoslováquia decide se dividir, criando, assim a República Tcheca e a Eslováquia.

O bacana é que ouvimos muitas dessas histórias em alguns Walking Tours que fizemos pela cidade e percebemos o quanto aquele povo já sofreu e é vencedor! Te convenci a conhecer Praga? rss. Então continue lendo esse post e comece a preparar seu plano de viagem 🙂

Informações gerais:

Sopa de letrinhas rs

Sopa de letrinhas rs

Idioma: Tcheco. Impossível entender qualquer coisa…rs. Nas atrações turísticas, conseguíamos nos virar bem em inglês, porém, em lojas, ruas, etc., era um pouco mais difícil.

Fuso horário: GMT + 4

Moeda: Coroa theca

Embaixada Brasileira na República Tcheca: http://www.mzv.cz/brasilia

Visto: Não é exigido para Brasileiros

Site: www.praha.eu

Quantos dias?

Recomendo pelo menos 3 dias inteiros na cidade. Existem também outras cidades interessantes na República Tcheca, mas que não tivemos tempo de conhecer.

Como chegar?

Não existem voos diretos partindo do Brasil a Praga, será preciso fazer uma conexão em alguma cidade européia.

Nós saímos de Frankfurt, e as passagens aéreas estavam caríssimas. Optamos então por fazer o trajeto de trem + ônibus. Partimos de madrugada de Frankfurt e pegamos um trem até a cidade de Nuremberg – na própria estação, saíam ônibus com destino a estação central de Praga. Nos atrapalhamos um pouco para achar o ônibus, quase fomos parar num ponto de ônibus comum, mas o local correto era justamente na saída da estação, sem precisar ir a rua.

Levamos mais ou menos a manhã toda para chegar a Praga, mas valeu a pena (além de mais barato, se fôssemos considerar todo o tempo de deslocamento até o aeroporto, teria dado na mesma).

147

Praça da Cidade Velha

O aeroporto (Vlácav Havel Airport Prague) fica a cerca de 20 kms do centro da cidade e nós utilizamos um táxi do hotel até ele, pois saímos da cidade de madrugada. Aqui nesse link, tem todas as informações referentes a meios de transporte para chegar ao aeroporto, mas vou resumir aqui em português:  para ir de ônibus até o centro de Praga, pegue o de número 119. As passagens são compradas naquelas maquininhas de vendas automáticas, em frente ao aeroporto.

Outra opção é contratar um serviço de transfer. Esse aqui foi recomendado pelo Ricardo Freire do Viaje na Viagem!

O que costumo fazer também é enviar um email ao hotel, perguntando qual a melhor forma de transporte. Recomendo, não custa nada e você, de quebra, já pré avalia a atenção dos funcionários do hotel 🙂

Onde se hospedar?

Se um dia voltar a Praga, pretendo me hospedar em Malá Strana, a região que mais gostei na cidade.  Nós ficamos próximos a Praça Venceslau, na região Nové Mesto, boa, central, porém, mais barata do que Malá Strana.

Ficamos no Andante Hotel, bem localizado, quarto espaçoso, café da manhã bem honesto (nos prepararam um lanche quando saímos, pois nosso check out foi de madrugada). Os funcionários não eram lá muito simpáticos, mas tive essa mesma impressão com outros locais durante nossa estadia na cidade.

Praça Venceslau

Praça Venceslau

Comparando Praga a outras cidades europeias que conheci, achei os preços de hospedagem bem mais em conta.

Dinheiro

Apesar de fazer parte da União Europeia, a moeda da República Tcheca não é o Euro, mas sim a Coroa Tcheca. No primeiro dia, fizemos a besteira de trocar euros numa Casa de Câmbio da Praça Vencesleu – a cotação era ruim e, dali pra frente, passamos a sacar dinheiro nos caixas eletrônicos.

Como não tínhamos muita noção dos custos por lá, sacávamos todos os dias um pouco, para não “micarmos”com Coroas Tchecas nas mãos no fim da viagem.

Para ter uma ideia da cotação, eu sempre consulto o site do Banco Central (lógico que o câmbio turismo sempre será mais desfavorável).

Documentação

A República Tcheca não exige visto de brasileiros. É preciso que seu passaporte esteja válido e o tempo máximo de permanência como turista no país é de 90 dias.

Como a República Tcheca faz parte do Tratado de Schengen, é necessário fazer também um Seguro Viagem (nunca me pediram, mas vai que, né?).

SEMPRE que for viajar verifique quais as regras para ingressar em cada país, para não ter nenhum problema, ok?

Melhor época

Eu fui em Setembro e foi excelente. Temperaturas amenas, não precisei carregar casacão e nem choveu. Eu recomendaria a primavera, dizem que o Inverno por lá é bastante rigoroso e o verão, muito úmido.

114

Transportes

Eu particularmente gosto muito de caminhar em viagens e Praga é uma cidade relativamente pequena, o que possibilita que você faça a pé muitos dos passeios, dependendo, lógico, de onde se hospedar.

252

Trams

Utilizamos também o tram para irmos a Hradcany – não é preciso validar em lugar nenhum dentro do tram, mas algum fiscal pode exigir verificar o seu bilhete e, caso não o tenha, além do vexame, terá que pagar multa.

A cidade conta também com metrô, que nem chegamos a utilizar, mas você pode baixar o mapa nesse link!

Espero ter aguçado a vontade de vocês de conhecer Praga e ajudado com essas dicas! Fiquem de olho que vem muito mais por aqui 😉

 E você, tem dicas de Praga? Compartilhe aqui com a gente!

Postado em

Quando decidi ir a Amsterdam, meu irmão me avisou: você precisa conhecer Zaanse Schans (E Volendam E Marken rs)!! Vi as fotos, achei bonito, mas confesso que não me chamou taaanto a atenção assim. De qualquer forma, daria tempo, seria interessante conhecer os moinhos! Meu amigo decidiu ir também e fizemos o passeio tradicional: Volendam, […]

Postado em

Olá, pessoal, tudo bem? Quem acompanha o Ciao Viaggio no Facebook ou Instagram (links ao lado direito) sabem que, desde Agosto, estou escrevendo uma coluna mensal ao site Finanças Femininas! Trata-se de um importante site, hospedado no UOL, que trata de forma descontraída diversos temas de finanças voltados ao público feminino (mas confesso a vocês […]

Postado em

Eu sou da opinião de que devemos sim sempre conhecer o centro da cidade que visitamos pela primeira vez…e claro que em Amsterdam não foi diferente! É uma região muvucada sim, onde você deve redobrar a atenção com seus pertences, possui aqueles pombos chatos que sempre me deixam com medo de “ganhar um presentinho”, e […]

Postado em

Eu tinha um pouco de dúvidas se iria ou não a essa famosa atração de Amsterdam pelo simples fato de não gostar muito de cerveja…rs. Deixei para conhecer a Heineken Experience apenas se desse tempo, apesar de ter ouvido muitos elogios…e, o tempo em Amsterdam não foi nada amigável quando estive por lá (chuva, ventania, […]

Postado em

Você já ouviu falar em Museumplein? Não? Bom, mas se já pesquisou um pouco sobre Amsterdam, certamente já viu esse letreiro abaixo, né? Pois Museumplein é uma praça linda que tem ao seu redor nada mais nada menos do que 3 importantes museus: Rijksmuseum É o Museu Nacional da Holanda e conta com centenas de […]

Postado em

É inevitável: quando você conta aos seus amigos que vai a Amsterdam, surge o sorrisinho no canto da boca deles! risos. Sinto lhe informar, mas essa é  ainda uma visão estereotipada que alguns insistem em manter da cidade. O fato é que se engana quem pensa que Amsterdam é uma bagunça e cada um pode […]

Postado em

Nossa expectativa era de chegarmos ao Vondelpark, alugar uma bicicleta e explorá-lo pedalando mas, como comentei com vocês no primeiro post com Dicas de Amsterdam, o mau tempo na cidade nos desencorajou. Quando chegamos, uma garoa fria caía e não vimos por perto lugares que alugavam bikes (mas confesso também que nem saímos procurando…). O […]

Postado em

Que Amsterdam já é encantadora quando passeamos por suas charmosas ruas e cruzamos seus canais, já sabemos! Então, por que não ter uma vista do alto da cidade – e de graça?? Então continue lendo esse post e descubra que, para ver Amsterdam do alto, a Biblioteca Central é uma ótima pedida! A Biblioteca Central […]

Postado em

Você separou toda a documentação dos seus antepassados, gastou uma boa grana com a tradução juramentada, amargou meses ou anos de espera (no meu caso, absurdos 10 anos para sair minha cidadania italiana) e finalmente pegou seu passaporte mas não sabe usar? Fique tranquilo (a): essa dúvida é mais comum do que se pensa. Eu […]