• Peru: Todas as dicas para programar a sua viagem!

Monastério de Santa Catalina em Arequipa

Postado em

Esse Monastério tem muita história para contar e mais do que merece a sua visita! Ocupando um quarteirão inteiro bem no centro de Arequipa, o Monastério de Santa Catalina foi fundado em 1540 por Dona Maria Guzman, mulher bastante rica e sem filhos que decidiu tornar-se freira depois de  ficar viúva.

catalina1

O Monastério é tão grande que existem “ruas” lá dentro (são mais de 20.000 m2!!!). Você pode fazer a visita por conta própria ou guiada, como eu fiz e recomendo fortemente – só assim para entender melhor a história daquele lugar. E já posso adiantar a vocês: nada de torcer o nariz achando que será um tour entediante – eu confesso a vocês que as vezes fico com o pé atrás quando se trata de visita guiada em grupo, mas nessa, nem vi a hora passar.

catalina9

catalina10

catalina20

Com seis ruas, três claustros, 100 aposentos e uma igreja, o Monastério chegou a abrigar quase 500 pessoas, sendo cerca de 30% freiras – apenas as famílias abastadas conseguiam mandar suas filhas (muitas entravam com cerca de 12 anos, mas tinham casos de outras ainda mais novas)  para tornarem-se noviças, pois a adesão ao Monastério, segundo nossa guia, era muito cara para os padrões financeiros da época.

Afrescos

Afrescos

Nossa guia explicou que as noviças  viviam por 4 anos na clausura, sem interação com as outras moradoras do Monastério. No quartinho delas tinha cama, um espaço para higienização e a comida e bebida era servida pela janela – dedicavam-se a rezar e aos trabalhos manuais, como bordado. Passado o tempo de clausura, essas mulheres eram transferidas a uma outra casinha, que também tinha cozinha, podendo receber a visita de outras religiosas.

Clausura das noviças

Clausura das noviças

A casa das noviças:

catalina4 catalina5

 

Casas das monjas:

catalina6DSC_1890

Com o tempo, lá por 1870, passou a existir uma Cozinha Comunitária, aumentando a interação entre as religiosas.

Apesar de viverem nesse lugar de tanta paz, não dá para dizer que a vida delas era fácil, né? Muitas não aprendiam nem a ler e escrever, passavam o dia orando, bordando, cozinhando, com mínima interação com outras pessoas…sem contar que boa parte dessas mulheres (se não a maioria) estava lá por imposição dos pais, e não por livre arbítrio.

Outro ponto interessante da vida delas e que eu  tinha bastante curiosidade em conhecer era a lavanderia comunitária: a água vinha de um canal central para diversos recipientes que serviam como tanques às religiosas.

catalina11

No Monastério, viveu  Ana de los Angeles Pontiagudo, madre superiora a qual foram atribuídos diversos milagres. Ela faleceu em 1668, foi enterrada no próprio mosteiro e foi beatificada pelo Papa João Paulo II em 1985.

catalina19

Peça feita em ouro, protegida pelo vidro, no interior da igreja do Monastério

Aqui na foto abaixo, o Claustro Los Naranjos: essas três cruzes representam a Paixão de Cristo, e são usadas pelas freiras para encenarem a Sexta feira Santa – essa encenação não pode ser assistida pelo público, uma vez que o Monastério é fechado nesse dia.

catalina7

Essa praça chama-se Zocodovar, e é onde as freiras se reuniam aos domingos para trocar itens que produziam. Seguimos adiante e subimos as escadas que davam acesso a parte superior desse prédio de cor clara – lá, uma linda vista do Misti:

catalina13

catalin12

catalina15

Você também passará por essa lanchonete super charmosa, em que muitos quitutes são produzidos pelas religiosas. Nós aproveitamos para provar um doce super típico de Arequipa, que é o queso helado, uma espécie de sorvete com bastante sabor de leite – nesse caso, servido com uma bola de sorvete de goiaba! Estava delicioso!! Aproveitei e levei umas chocotejas, que parece uns bombons recheados, bons demaisss!!

catalina17

catalina18

Queso Helado: Uma ótima pedida ao final do passeio

O convento foi aberto ao público em 1970 e hoje em dia cerca de 20 freiras vivem por lá, numa área não aberta a visitantes. Super recomendo a visita – se você quiser fazer por conta própria, sem guia, recomendo que imprima o mapa que está no site (veja aqui) e informe-se bastante sobre o Monastério.

catalina14

catalina16

 Como visitar?

Endereço: Santa Catalina, 301 – Arequipa – Peru

Site oficial: http://www.santacatalina.org.pe/

Preço: 35 soles de entrada + 15 de guia (Base Set/2014). Compramos na hora e rapidamente um grupo se formou – esperamos no máximo 10 minutos para iniciar nosso tour.

0 Comentários para “Monastério de Santa Catalina em Arequipa

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *