• Peru: Todas as dicas para programar a sua viagem!

O que fazer em Veneza?

Postado em

Veneza por si só já é uma grande atração turística: afinal de contas, trata-se de uma cidade ÚNICA (você conhece uma outra cidade que foi construída sobre as águas no meio de uma laguna e funciona normalmente, sem desmoronar, há mais de mil anos?risos).

A cidade é constituída por 118 ilhas, separadas por canais e mais de 400 pontes!! O mais importante é o Grande Canal, e recomendo fortemente que vocês façam um passeio de vaporetto assim que chegarem à Veneza, para já irem se deslumbrando com os monumentos dessa cidade tão especial.

Eu fiquei cerca de 2 dias e meio na cidade e, desde a fase do planejamento da minha viagem à Itália, decidi que em Veneza eu me dedicaria mais a explorar a cidade a pé, ou de vaporetto…diferente de outras cidades, minha intenção não era mais conhecer museus (abri exceção ao Palazzo Ducalle, que comentarei nesse post). Também não fui conhecer Murano e Burano – li muitas resenhas desfavoráveis e para mim seria um pouco corrido: cheguei em Veneza no Domingo de Páscoa, por volta do meio-dia, na segunda-feira uma prima e o namorado que moram no Norte da Itália passaram o dia todo comigo na cidade e na terça-feira eu já voltaria ao Brasil. Fica pra uma outra oportunidade…

Nesse post, a ideia é mostrar a vocês como Veneza é dividida e as principais atrações de cada, digamos, região. Em algumas dessas, basta você clicar no nome e será direcionado ao site, para ver mais informações 🙂

Fonte: ww.veniceclick.net

Fonte: www.veniceclick.net

 

Cannaregio

 

Cenas de Veneza

Cenas de Veneza

 

Construída entre 1481 e 1489 com o intuito de abrigar uma imagem milagrosa de Madona de Nicoló di Pietro.

Trata-se de um Palácio Gótico, onde são expostos pinturas, esculturas e moedas.

Igreja fundada no século 14 e dedicada a São Cristóvão, patrono dos viajantes.

Castello

1840

Cenas de Veneza

Essa igreja gótica foi construída entre 1246 e 1430 e conta com paredes cheias de túmulos e monumentos de artistas do Renascimento veneziano.

Igreja renascentista construída no século XV.

Dorsoduro

1707

Cenas de Veneza

Contém mais de 500 pinturas venezianas, distribuídas em 24 salas e em ordem cronológica.

A milionária americana Peggy Guggenheim começou a colecionar arte contemporânea na década de 1920 e mudou-se para Veneza em 1946. O acervo desse museu contrasta com a arte bizantina, gótica e renascentista da cidade de Veneza!

Uma das igrejas mais bonitas de Veneza (ao menos na parte externa), foi construída no século 17 como agradecimento ao fim da peste, que exterminou cerca de 1/3 da população veneziana no ano de 1630.

San Marco

Tem um post especial sobre San Marco aqui! Venha conferir!

1816

Esse foi o único museu que visitei em Veneza, e valeu super a pena!

Trata-se do Palácio que fica ao lado da Basílica San Marco e abrigava a residência do doge (chefe de Estado de Veneza), bem como os departamentos do governo: conselhos, salas de comitê, diplomatas, assembleias, etc. O doge, autoridade máxima da República, era eleito pela aristocracia e passava a morar no palácio, permanecendo no poder até a sua morte.

A famosa estátua de Atlas, logo no começo do Museu

A famosa estátua de Atlas, logo no começo do Museu

 

1821

Hoje quem visita esse Museu é presenteado com diversos salões que abrigam os Apartamentos do Doge, e diversas galerias de arte: Itinerari Segreti (que conta com as antigas prisões no porão – não tem como não imaginar  o sofrimento dos prisioneiros naquele lugar frio, gente!! É uma energia muito forte), Museu dell’Opera (abriga principalmente as esculturas originais da parte externa do palácio), Sala del Magistrato (pinturas), Arsenal (coleção de armaduras, armas e instrumentos de guerra), etc.

DSC06071

 A ponte dos Suspiros, apesar do nome, não tem nada de romântica, minha gente! Até o século 16, os prisioneiros venezianos cumpriam suas penas nas prisões do Palazzo Ducale e diz a lenda que os prisioneiros que cruzavam a ponte fechada, jamais retornariam 🙁 e aí, então, davam seus últimos suspiros.

Ponte dos Suspiros

Ponte dos Suspiros

Se você tiver sorte, conseguirá ver a ponte através das janelas do primeiro andar do Palácio.

De qualquer forma, acredito que, assim como eu, você vai disputar um espacinho a frente da ponte para tirar uma foto báasica da mesma 🙂

A ilha de San Giorgio Maggiore pode ser avistada pela Piazza San Marco e uma pequena igreja foi construída entre o séculos 8 e 9 em homenagem a San Giorgio. Anos mais tarde, a pequena igreja passou a ser substituída pela linda Basílica que hoje vemos na ilha.

Ilha de Giglio

San Giorgio Maggiore

San Polo

  • Ponte Rialto

A ponte mais famosa de Veneza, começou como uma ponte flutuante de madeira  no século 12  e, no ano de 1557 o veneziano Antonio da Ponte venceu um concurso para a construção de uma ponte de pedra no local (Detalhe: seus concorrentes eram, nada mais nada menos do que Michelangelo, Palladio e Sansovino).

1689

Ponte Rialto

Essa igreja foi construída por volta de 1270, sendo concluída quase 200 anos mais tarde. é enorme e atualmente cuidada pelos franciscanos.

  • San Michele in Isola

Aqui nessa ilha fica o cemitério veneziano. Você poderá visualizá-la de vaporeto, em passeios a Murano ou mesmo em direção ao aeroporto.

Santa Croce

Galeria de arte moderna.

Saudades de Veneza...

Saudades de Veneza…

Quer saber mais sobre Veneza? Veja aqui:

www.venice-tourism.com

www.comune.venezia.it

Home

 

4 Comentários para “O que fazer em Veneza?

  • Nina Paolone no dia escreveu:

    Vanessa,

    parabéns pelo blog! Fiquei 25 dias na Italia e sempre que mudava de cidade entrava aqui para pegar algumas dicas! Com certeza aproveitei muito mais!!

    Veneza é o lugar mais incrível que ja conheci!! As dicas foram ótimas, obrigada!!

    Responder

  • Isabela Pessoa no dia escreveu:

    Olá! Vi que você chegou em Veneza num domingo de Páscoa. Te atrapalhou em algo ter ido nesta data? Algo estava fechado? E na segunda após a Páscoa para eles também é feriado… Foi tranquilo? Obrigada

    Responder

    • Vanessa Macagnan no dia escreveu:

      Oi, Isabela, quanto a isso foi tranquilo. Talvez pelo fato de Veneza ser uma cidade que vive do turismo, nada do meu passeio foi prejudicado por conta do feriado.
      Abraços

      Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *